´É possível educar os filhos, desenvolver vínculos saudáveis e habilidades para a vida?

Ao lidar diariamente com nossas crianças, temos oportunidades de melhorar os vínculos emocionais, através de nossa forma de interagir, de nos comunicar com elas, e até nos momentos em que precisamos corrigir algum comportamento inadequado.

Mas não é uma tarefa fácil. A educação não se dá em um momento único, com hora marcada. Não é possível marcar na agenda: “aos sábados, das 15 às 18 horas educarei meu filho e ensinarei habilidades que precisa desenvolver para a vida adulta”. A educação e o desenvolvimento de habilidades se dá a todo instante, desde a hora que acordamos até o momento de dormir e inclui o acordar noturno também. Ensinamos até mesmo quando não falamos nada, apenas por nossas atitudes e ações. E cada situação é uma oportunidade ímpar para o aprendizado das crianças.

Compreender a fase de desenvolvimento em que a criança se encontra pode ajudar muito a desenvolver uma interação de respeito e empatia. As crianças têm uma forma diferente de ver o mundo, estão o tempo todo aprendendo sobre tudo. Ao mesmo tempo, estão num turbilhão de crescimento, se desenvolvendo, física, emocional e psicologicamente.

Como adultos, precisamos garantir sua segurança e também seu aprendizado em todas as áreas. Cuidamos de sua alimentação, de sua rotina saudável de higiene e sono, ensinamos o que podem ou não fazer. E elas estão descobrindo o mundo, têm necessidade de explorar, conhecer, perceber. Estão desenvolvendo suas habilidades motoras e precisam de movimento.

Como conseguir uma comunicação mais fluida, um relacionamento saudável e a construção de vínculos positivos? O respeito e o afeto são essenciais.

A antiga forma de educar, com castigos, ameaças e punições podem até parar um comportamento inadequado mas não fazem com que a criança se sinta aceita e pertencente. Ao contrário, tendem a gerar revolta, desejo de vingança e mentiras, entre outros. Além disso, como são formas externas de motivação, não levam a criança a refletir e aprender a partir da sua experiência. Não ensina à criança como ela deve agir, o que é certo e o que é errado. Também não treina com ela importantes habilidades para a vida como fazer escolhas, aguardar o momento certo de fazer as coisas, respeitar e reconhecer os direitos dos outros.

Situações comuns como tomar banho, almoçar, dormir podem gerar enormes conflitos e tornar nossa rotina muito desafiadora. Também podem nos levar a loucura aquelas situações onde precisamos impedi-las de fazer coisas que representam risco, como por exemplo, sair correndo pela rua, ou ainda mexer naquele armário de cristais da tia!

Limites são fundamentais para a saúde física e psicológica da criança e de todos os envolvidos. Mas… como ser firmes, sem ser autoritários?

Nós crescemos e fomos educados com punições, castigos e tapas. E acabamos reproduzindo isso por não conhecer outros métodos que funcionem. Alguns até dizem… Eu apanhei e estou bem hoje. Aprendi a respeitar e fazer o que era certo! Não vejo problemas em dar um tapa quando necessário.

Ou, para evitar as punições, acabamos deixando que nossos filhos façam tudo o que queiram, sem nenhum tipo de limite.  Assim, não conseguimos estabelecer uma rotina saudável para a criança e para a família, deixamos de criar alguns limites seguros e importantes para o desenvolvimento, e isso vai virando uma bola de neve, onde crianças e pais sentem-se perdidos.

Ao contrário do que muitos pensam, educar com respeito não significa deixar que a criança faça tudo o que quer. Como então ter respeito pela criança e pelo adulto? Como garantir que ela não faça aquilo que não pode ou não deve? Como conseguir a cooperação da criança para aquilo que ela precisa fazer?

A Disciplina Positiva é uma metodologia baseada nos estudos de Adler e Dreikurs, que nos ajuda a ser firmes e gentis ao mesmo tempo. Não se trata da firmeza autoritária, nem da permissividade que não estabelece limites. Ser firmes e gentis, respeitando a criança e o adulto AO MESMO TEMPO.

É uma forma de agir, viver e estar com as crianças que vai muito além de conseguir que obedeçam. É ter respeito pela criança como pessoa que é, entender as suas necessidades e respeitar, não apenas a criança, mas todas as pessoas envolvidas na situação.

Quando usamos as ferramentas da Disciplina Positiva na educação de nossos filhos nós os ajudamos a desenvolver as habilidades de reflexão e decisão, de forma que, aos poucos, vão aprendendo a diferenciar o que é certo do que não é, a partir de dentro, não por medo ou sugestões externas: “que recompensa ganho se fizer algo?” ou ainda “se não fizer isso ou fizer aquilo, ficarei de castigo”

É um caminho de coerência e consistência, onde os valores vão sendo construídos e praticados, de forma amorosa e respeitosa. E as habilidades que queremos nos futuros adultos, vão refletindo estes valores. Existem possibilidades além das antigas opções. Precisamos apenas estar abertos a aprender, experimentar, errar e reaprender… continuamente.

Com Carinho,

Keli Lira

Mãe de dois, Psicopedagoga, Educadora e Coach Parental

P.S. : Quer saber mais? Recomendo a leitura do livro “Disciplina Positiva” escrito por Jane Nelsen. 

Se deseja participar de vivências sobre este assunto, teremos um Workshop no próximo dia 22 de setembro de 2018, na Casa Mandalla | Yoga e Bem-Estar.

Abaixo mais informações sobre este evento.

Quando: 22/09/2018 – das 14 às 18 horas

Onde: Casa Mandalla – Rua Professor Wlademir Pereira, 93 – Vila São Francisco – SP

Facilitadoras: Sandra Quero – Psicóloga e Educadora Parental e Keli Lira – Psicopedagoga, Educadora e Coach Parental

Investimento: R$ 120,00 – individual / R$ 200,00 – casal

Informações e Inscrições: (11) 97559-7279 com Carla